2º post colaborativo: Breve histórico da joalheria, por Érico Fuzaro

Ebaaa! O Porcinas adora quando alguém se dispõe a escrever algo para ser publicado aqui! Afinal, este espaço é dedicado a articulação de ideias, como esclarecemos no Sobre Nós. E este segundo post colaborativo é especialmente único, pois além de ter sido escrito pelo nosso daddy, Érico Fuzaro, é uma verdadeira aula sobre a história da joalheria. Então, quem tem interesse em seguir carreira na área de design de joias (viu Jô?? rs) ou simplesmente tem curiosidade em saber como ralhos é o processo de produção de uma peça, fique ligada nos próximos posts, que serão uma continuação desta introdução. Enjoy it!!!

O ex-joalheiro Érico Fuzaro, pai das Porcinas

O ex-joalheiro Érico Fuzaro, pai das Porcinas

“Os adornos em ouro acompanham o homem desde nossos ancestrais, quer explorados nas minas ou encontrados em depósitos aluviais (nos leitos dos rios). Hoje, ainda valioso e até servindo como lastro financeiro para as nações, esse metal é explorado principalmente por grandes grupos mineradores com muita tecnologia tanto no aproveitamento da prospecção quanto aos cuidado com o meio ambiente.

A técnica no início
A mineração data do segundo milênio A.C. e o ouro determinava poder e riqueza, orientando as guerras rumo ao melhor acesso às grandes minas. Nesta época, iniciou-se a cunhagem de moedas, facilitando o comércio e possibilitando que um maior número de pessoas adquirissem o metal.

Com o tempo, as primeiras ferramentas foram sendo inventadas, como o martelo, e o artesão (ou ourives) produzia suas peças martelando o metal com pedras. A partir de sucessivas marteladas no metal obtinha-se uma lâmina, que depois de cortada com faca ou cinzel, dava a forma e espessura desejada. Outro meio de se produzir uma peça de ouro, além da lâmina, é por meio de fios, que eram feitos à partir de lâminas finas entrelaçadas e torcidas, tudo à base de cozimento.

Ainda neste período, era raro utilizar a fundição na fabricação das jóias, pois o processo gerava perdas enormes, inviabilizando o negócio. O emprego da fundição, na joalheria, iniciou-se na idade do ferro na Europa e até hoje é utilizado largamente.

O que não mudou desde os primórdios do homem até os dias atuais foi o desafio do joalheiro de transformar os metais preciosos em obras de altíssimo valor, pois as jóias e os metais preciosos, bem como as pedras preciosas, sempre atraíram a atenção do ser humano.”

(posted by ericofuzaro@terra.com.br)

3 thoughts on “2º post colaborativo: Breve histórico da joalheria, por Érico Fuzaro

  1. Adorei eu cortada na foto kkkk! Nos queriamos escrever um post no Porcinas sobre como e feita uma joia, passo a passo, mas estava programado pra fazer isto so quando eu chegasse na minha terrinha querida, daqui 3 meses! Mas como a curiosidade falou mais alto, tivemos a ideia de pedir pro papis, expert no assunto para fazer um post em colaboracao conosco hehe! E o que era pra ser um singelo post se transformou em uma materia muito interessante para quem gosta e tem interesse profissional em joias e bijus no geral! Obrigadaaaaaaaaa!Amamos….

  2. Arrasoooou, daddy!! Nem eu, filhote de peixe, sabia ao certo a história da joalheria… Parabéns!
    Bjos
    Amamos vc!

  3. Um sucesso!!
    Adorei saber um pouco mais sobre esse tema tão apaixonante..
    Valeu queridaaa =D
    Bjos

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s